domingo, 8 de julho de 2018

Lamentamos, lamentamos


Auditores resgatam 19 trabalhadores em situação degradante em MG

Grupo trabalhava para colheita de café sem carteira assinada

Publicado em 05/07/2018 - 19:12

Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil Brasília




Auditores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) resgataram 19 trabalhadores encontrados em situação degradante em uma colheita de café na região de Alto São Francisco, em Minas Gerais. No total, os representantes do MTE aplicaram 25 infrações ao responsável pela propriedade rural, localizada no município de Córrego Danta.

O empregador foi autuado para pagar as rescisões dos contratos, no valor de R$ 70 mil, e depositar o valor do FGTS. Ele também foi obrigado a garantir o retorno dos trabalhadores a suas cidades de origem, na Bahia.

As pessoas resgatadas foram recrutadas pelos chamados “gatos” (nome dado a profissionais que fazem a intermediação de força de trabalho), que prometeram o serviço e a restituição do valor da viagem, cerca de R$ 200. Os trabalhadores aderiram sem informações sobre as atividades, as condições, a forma de remuneração e a contratação. Todos foram admitidos sem carteira assinada.

O local da colheita não tinha banheiros. A água disponível era apenas a de uma nascente. As refeições eram preparadas pelos próprios trabalhadores e tinham que ser consumidas no chão. A jornada não tinha controle e o trabalho era organizado pelo que era produzido por cada trabalhador, resultando em pagamentos ao fim de cada semana.

O alojamento não era equipado com camas nem roupas de cama suficientes. A comida e materiais de limpeza eram comprados em um comércio a 20 quilômetros da fazenda na forma de crédito, que seria abatido dos pagamentos. A dívida do grupo havia ultrapassado os R$ 7 mil.

Saiba mais


Edição: Davi Oliveira


sexta-feira, 29 de junho de 2018

Tragédia social


Pesquisa aponta desemprego estável e aumento da informalidade em maio

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua






Publicado em 29/06/2018 - 09:50

Por Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

A taxa de desemprego fechou o trimestre encerrado em maio em 12,7%, praticamente estável em relação ao trimestre encerrado em fevereiro deste ano, quando a taxa de desocupação foi 12,6%, alta de apenas 0,1 ponto percentual.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgada hoje (28), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que ressalta, no entanto, o fato de que entre um trimestre e outro a informalidade no emprego voltou a crescer, com o contingente de empregados do setor privado sem carteira assinada tendo aumentado 2,9% no trimestre de março a maio, em relação ao trimestre anterior.

Em números absolutos, o resultado representa mais 307 mil pessoas em postos de trabalho que não oferecem várias garantias de direitos trabalhistas. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, o aumento foi de 5,7%, o que corresponde a 597 mil pessoas a mais na informalidade.

Segundo o IBGE, na comparação com o trimestre de março a maio de 2017, quando a taxa de desemprego estava em 13,3%, houve queda de 0,6 ponto percentual no indicador.

Com a estabilidade da taxa de desemprego, a população desocupada também ficou estável em 13,2 milhões de pessoas. No trimestre encerrado em fevereiro a taxa foi de 13,1 milhões. Já na comparação com igual trimestre do ano anterior, quando havia 13,8 milhões de desocupados, houve queda de 3,9%.

O país tinha em maio último uma população ocupada de 90,9 milhões de trabalhadores, também mostrando estabilidade no emprego em relação ao trimestre imediatamente anterior (dezembro do ano passado a fevereiro deste ano). Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, quando havia 89,7 milhões de pessoas ocupadas, a população ocupada aumentou 1,3%.

Edição: Fernando Fraga


segunda-feira, 4 de junho de 2018

Vulcão na América


Brasil se solidariza com Guatemala após tragédia de vulcão

Publicado em 04/06/2018 - 19:01

Por Da Agência Brasil Brasília





O governo do Brasil prestou hoje (4) solidariedade às famílias e autoridades da Guatemala, vítimas da erupção do Vulcão de Fogo, que deixou pelo menos 62 mortos. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, lamentou a devastação provocada pela segunda erupção ocorrida ontem (3).


Erupção do Vulcão Fogo fez 62 mortos e deixou cerca de 3,2 mil desabrigados (Noe Pérez/EFE/direitos reservados)

“O governo brasileiro recebe com consternação a notícia da erupção do ‘Vulcão de Fogo’ na Guatemala, que resultou na devastação da vila de San Miguel Los Lotes e na perda de dezenas de vidas humanas, além de elevado número de feridos e desabrigados”, diz o comunicado.

Em seguida, o texto acrescenta: “O Governo brasileiro se solidariza com as famílias afetadas e transmite ao povo e ao governo da Guatemala suas sinceras condolências”.

Pelo menos 1.702.130 de pessoas foram atingidas, principalmente no departamento de Escuintla, uma das áreas mais afetadas pelas lavas e cinzas. Ainda há desaparecidos e os bombeiros trabalham nos resgastes.

A erupção chegou a 10 mil metros de altura sobre o nível do mar a 700 graus centígrados. Pelo menos 3,2 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas.

A Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou hoje moção de apoio à Guatemala.

Saiba mais


Edição: Davi Oliveira


sexta-feira, 25 de maio de 2018

Cursos para todos



NOVOS CURSOS, NOVAS OPORTUNIDADES







CURSO: CURSO DE CORTE E COSTURA

INTRODUÇÃO
Curso oferecido para se formar a pessoa que, disponibilizando do tecido possa planejar, modelar, cortar e compor uma vestimenta completa. Ensina sobre a confecção de saia, blusa e vestido desde a criação dos moldes ate o acabamento na máquina de costura. E também ajustes de roupas como o procedimento para fazer a barra de calças e a troca dos diferentes tipos de zíperes.
Carga horaria – 80 horas
Início e horário – a combinar
Indicado para: donas de casa, jovens, pessoas que estejam buscando uma forma nova de obter renda
Investimento – R$300,00

CURSO: CURSO DE MECANICA DE MOTOS

INTRODUÇÃO
Curso oferecido para se formar a pessoa que, DESEJANDO se ingressar no mercado de trabalho, como empregado ou autônomo ou ainda quem deseja complementar a renda da família empreendendo numa atividade de grande potencial de retorno. Cada dia há mais motos nas zonas urbanas e rural do Brasil, precisando de manutenção. Em paralelo o comercio de peças e artigos de motociclismo ajudam ao estabelecimento no ramo.
Carga horaria – 120 horas
Início e horário – a combinar
Indicado para: pessoas de qualquer idade que estejam buscando novas formas de se obter renda
Investimento – R$500,00

CURSO: CURSO DE OPERADOR DE CAIXA

INTRODUÇÃO
Curso oferecido para se formar a pessoa que, DESEJANDO se ingressar no mercado de trabalho, DESEJE ter conhecimentos para operar diversas máquinas, sistemas, contornar problemas, além de oferecer um bom atendimento para que o cliente conclua sua compra com satisfação. Normas de convivência, direito do consumidor, operação de registradoras/computadores, novas cédulas, cartão de crédito, leitor de códigos de barras, fechamento de caixa são pontos importantes nesse aprendizado.
Carga horaria – 120 horas
Início e horário – a combinar
Indicado para: pessoas de qualquer idade que estejam buscando novas formas de se obter emprego e renda, preferencialmente como empregado.
Investimento – R$500,00

CURSO: CURSO DE INFORMATICA BÁSICA
INTRODUÇÃO
Curso oferecido para se formar a pessoa que, DESEJANDO se ingressar no mercado de trabalho, QUEIRA conhecer o funcionamento do computador, adquirindo capacidade de operar coisas simples, como digitar um texto, criar uma pequena planilha, conhecer quais peças formam um computador e navegar de forma segura pela internet. Ainda saber diferenciar os diversos tipos de máquinas e conhecer com segurança os principais recursos do computador
Carga horaria – 120 horas
Início e horário – a combinar
Indicado para: pessoas de qualquer idade que estejam buscando novas formas de se obter renda
Investimento – R$200,00

Todos os cursos oferecidos terão instrutores preparados de forma profissional ou atuantes no mercado de trabalho. O equipamento necessário, salvo disponibilizado pela Associação, será de responsabilidade da empresa. Após a definição dos critérios e perfil dos alunos, a empresa fará uma entrevista de classificação potencial de empregabilidade. Todas as despesas com transporte, segurança dos equipamentos, alimentação e estadias serão de responsabilidade da Associação.